Qu’est-ce que c’est la photographie?

Coletiva

29/07/2014 à 29/08/2014

Qu'est que c'est la photografie? é uma exposição a propósito da fotografia e não somente que abriga fotografias; participam também, desenhos, pinturas, esculturas e vídeos; realizados por diversos artistas brasileiros. Invariavelmente a arte se ancora em territórios repletos de problemas, quando estas complexidades não se apresentam é ela que promove esta incidência. Aqui, nesta exposição, já de início, esta presença paradoxal dá o ar de sua graça. Ela comparece por intermédio de um arranjo contraditório, que advém desta convivência bastante diversa – pinturas, fotografias, esculturas, desenhos – agrupada por um título que se refere a uma linguagem específica, a fotografia. Sem dúvida fotografias são fotografias, como pinturas são pinturas; ainda assim, no âmbito da arte estas realidades não são tão fáceis de serem demarcadas: os territórios se tornam movediços, os pisos se mostram como que pastosos, o equilíbrio se conforma precário – e o que é mais fantástico, tudo isso está plenamente alinhado com a realidade que vivemos.

SOBRE OS ARTISTAS

Carina Weidle nasceu em Novo Hamburgo – RS, em 1966. É professora desde 1996 e atualmente coordenadora do Curso de Escultura da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Realizou mostras individuais como Friccion (2013), na Galeria da Bath Spa University em Bath/UK, Slicing House (2013) no Kornhäuschen em Aschaffenburg, Alemanha, Solo Mole (2012) no Museu Alfredo Andersen, Curitiba/PR. Participou de diversas mostras como: Beastly Hall (2013) no Hall Place em Bexley/UK, Conciertaciencia (2012) no Plataforma Bogotá, Bogotá, Colômbia, O Estado da Arte (2010) no Museu Oscar Niemayer, Curitiba/ PR, XXV Bienal Internacional de São Paulo (2002) entre outras. Possui obras em acervos no Mam/RJ, na Fundação Cultural de Curitiba, no Museu de Arte da UFPR – MUSA, na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, na Bath Spa University, na Hayward Gallery/ Londres e nas coleçõ̃es de Charles Saatchi e Richard Branson.

Cleverson Oliveira nasceu no ano de 1972 em Curitiba, cidade onde vive e trabalha atualmente. Em 1994 concluiu o bacharelado em Escultura na Faculdade de Música e Belas Artes do Paraná e em 1996 tornou-se Especialista em História da Arte (curso de extensão universitária) pela New York University, em Nova Iorque, Estados Unidos. Sua produção artística concentra-se em desenho, vídeo, áudio, fotografia e instalação. De 1996 a 2008 foi um dos principais artistas do coletivo B’N’S Sessions em Nova York. Suas principais exposições individuais são: “Debris”, Museu de Castro, Castro-PR (2012). “Fronteiras: Uma jornada pelas Américas” (Brasil), Museu da Fotografia, Curitiba-PR (2010). “Fotografias e desenhos”, Ybakatu Galeria de Arte, Curitiba - PR (2008). “Frontiers: A journey through the Americas”, M.Y. Art Prospects, Nova Iorque -EUA (2006). “Fronteiras: uma jornada pelas Américas”, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Curitiba-PR (2006). “Golden Years”, M.Y. Art Prospects, Nova Iorque –EUA (2004). “Clevelandia 2003: Fotografias e Desenhos”, Fundação Joaquim Nabuco, Recife-PE (2003). “Clevelandia 2003: Sete Vidas”, Museu da Fotografia, Curitiba-PR (2003). Dentre as suas últimas exposições coletivas estão: “Viajantes Contemporâneos”, Pinacoteca do Estado de São Paulo- SP (2011). “O estado da Arte”, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba-PR (2010). “Metamorphosis”, The other Gallery Shangai- China (2010). “5th Media Art Biennale”, Seoul - Koreia do Sul (2008). “Yeosu International Art Festival”, Yousu - Koreia do Sul (2008). “Amerikkka, The artists network”, Nova Iorque-EUA (2007). “A distant mirror”, M.Y.Art Prospects, Nova Iorque-EUA (2006). “Video Installations”, E.H.W.A University, Seoul- Korea (2005). “Gallery Collection Summer Show”, M.Y. Art Prospects, Nova Iorque-EUA (2005). “Mostra Ver”, Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro- RJ (2005). “South American Video Artists”, White Box, New York Groundswell, White Columns, Nova Iorque-EUA (2005).

José Spaniol nasceu em São Luiz Gonzaga (RS), em 1960. Entre 1978 e 1983, cursou artes plásticas na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), em São Paulo, onde vive e trabalha atualmente. É pintor, desenhista, gravador, escultor e professor. Algumas das suas principais exposições individuais aconteceram na Pinacoteca do Estado (1989); na galeria Nara Roesler (2001 e 2002). Das mostras mais recentes destacam-se: Esto no és uma Broma, no Museo de Arte Contemporâneo Union Fenosa, A Corunã – Espanha (2007) e a exposição Tímpano, no Museu de arte de São Paulo, Capela do Morumbi (2009). Dentre as suas últimas exposições coletivas estão: 80 90 Moderno Pós Modernos ETC, no Instituto Tomie Ohtake (2007); Parangolé: Fragmentos desde los 90 em Brasil, Port. y Esp., no Museo Patio Herreriano (2008); SP Arte, Feria de Arte de São Paulo (2008); Bienal de São Tomé e Principe, Lisboa Portugal (2008); Cinco Sentidos do Olhar, na Galeria Casa da Imagem, Curitiba, PR (2008).

Sérgio Romagnolo nasceu em 1957, na cidade de São Paulo. Concluiu a primeira graduação, em Pintura, pela Fundação Armando Álvares Penteado no ano de 1967, em 1975 graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo (USP) e no mesmo ano concluiu a Pós-graduação em Ciência Política pela mesma universidade. Em 1999, concluiu o mestrado em Artes na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) e, em 2002, concluiu o doutorado em Artes, também na USP. Atualmente vive e trabalha na capital paulista. Dentre as suas últimas exposições individuais estão: “O Corpo Denso das Imagens”, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo SP (2009). “A Feiticeira e os Motores”, Museu de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto SP (2007). Museu de Arte Contemporânea de Campinas, São Paulo SP (2000). Museu Brasileiro da Escultura, São Paulo SP (1998). Prefeitura Municipal de Santo André, São Paulo SP (1998). Casa do Olhar, Santo André, São Paulo SP (1998). “A Alma da Dobra”, Casa Triângulo, São Paulo SP (1996). “Sedução, Êxtase e Castigo”, Paço Imperial, Rio de Janeiro RJ (1995). “Sapatos e Flores”, Centro Cultural São Paulo SP (1990). Algumas das importantes exposições coletivas mais recentes são: Bienal de Bogotá, Colômbia (2009). “Poética da Percepção - Questões da Fenomenologia de Arte Brasileira ”, curated by Paulo Herkenhoff, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro RJ (2008). “Arte em Metrópolis”, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba PR (2005). Coleção Metrópolis de Arte Contemporânea, Pinacoteca do Estado de São Paulo SP (2002). Bienal de Liverpool, Liverpool, Inglaterra (2002). Suiça 2000, Paço da Artes, FAAP, São Paulo, Brasil (2000). “Figuras quase Figuras”, Curadoria Rejane Cintrão, MAM, São Paulo, Brasil (1999). “Der Brasilianische Blick”, Haus der Kulturen der Welt, Berlin, Germany (1998).

William Santos nasceu em Curitiba onde vive e trabalha atualmente. Em 2009 concluiu a formação em Artes Visuais com Ênfase em Computação pela Universidade Tuiuti do Paraná. Desde então tem se dedicado a pintura e ao desenho. Suas primeiras mostras individuais aconteceram em 2012, com a exposição "Desenhos", no Museu de Arte de Joinville, e "Imanência", que aconteceu na Finnacena Escritório de Arte - Curitiba-PR. Dentre suas participações em mostras coletivas, destacam-se: Exposição "9", Museu de Arte da Universidade Federal do Paraná - Curitiba-PR ( 2013). Exposição coletiva “CARAMBOLAGE” no Stúdio Antonio Wolff, Curitiba-PR (2011); Exposição coletiva “Possíveis Conexões”, MAC-PR, Curitiba-PR, entre outras.

< voltar